Home Quimioterapia Direitos do paciente com câncer Quimioterapia Sobre

A quimioterapia consiste no emprego de medicamentos, chamados quimioterápicos, para combater células doentes (cancerígenas), destruindo e/ou controlando seu desenvolvimento. O tratamento com medicamentos anticâncer é um dos quatro métodos de se atacar o câncer. Pode ser utilizada com qualquer um dos outros métodos: radioterapia, imunoterapia e cirurgia, dependendo de fatores como tipo de tumor, localização e estágio da doença. Alguns dos medicamentos já estão amplamente testados e são encontrados no comércio. Outros, entretanto, ainda são drogas em investigação, estão sendo extensivamente pesquisadas e não estão disponíveis para todos.

Podem ser ministradas isoladamente (monoquimioterapia) ou combinadas (poliquimioterapia). Sendo esta última a que apresenta resultados mais eficazes, pois consegue maior resposta a cada aplicação, diminui o risco de resistência às drogas e consegue atingir as células em diferentes fases do seu ciclo.

O INGOH está preparado para administrar seu tratamento quimioterápico. Uma equipe experiente sempre comprometida com o seu bem-estar permanece ao seu lado em cada fase do tratamento.

imagem
Direitos do paciente com câncer - INGOH - Instituto Goiano de Oncologia e HematologiaINGOH - Instituto Goiano de Oncologia e Hematologia
Quimioterapia Unidades

Direitos do paciente com câncer

A legislação brasileira assegura aos portadores de neoplasia maligna (câncer) e outras doenças graves, alguns direitos. Seguem, aqui, algumas informações importantes.

- Planos de Saúde:

. Compete ao plano ou seguro saúde comprovar o conhecimento prévio da doença pelo cliente antes da assinatura do contrato. Mas lembre-se, o fornecimento de informações falsas na declaração de saúde implica em fraude, pode levar ao cancelamento do contrato e à cobrança de todo o tratamento, bem como as conseqüências criminais.

. É proibida a limitação do prazo de internação hospitalar, mesmo em UTI, para contratos após 1999.

- Para o câncer de mama é assegurada a cirurgia plástica reparadora, pelo plano de saúde, nos contratos após 1999.

- Alguns planos, como o IPASGO (Lei n o 14.488, 2003), asseguram a isenção da co-participação nos casos de tratamentos crônicos e onerosos, para o titular e seus dependentes do grupo familiar, após avaliação médico e social, levando- se em consideração, a renda familiar e o valor da despesa.

- No caso de problemas com seu Plano de Saúde, entre em contato com o PROCON ou com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) - 0800.70119656. Lembre-se que a ANS só regula entidades privadas. Se seu plano for gerido por uma autarquia, como é o caso do IPASGO em Goiás, a ANS não tem como interferir no processo.