Home Banco de Sangue Grupo Sanguíneo - Rh Banco de Sangue Sobre

Sangue é uma substância nobre, responsável pelo transporte do principal combustível de nosso organismo, o oxigênio. Apesar das inúmeras tentativas de se criar um substituto, ainda não pode ser produzido industrialmente. Diariamente, milhares de pessoas precisam de sangue. Sem sangue, a saúde entra em colapso. Não é tarefa fácil manter os estoques. Por isso, cabe a cada um de nós pensar de que maneira um gesto espontâneo como esse pode mudar para sempre a vida de alguém.

Pessoas saudáveis podem e devem doar. Lembre-se: pode ser que um dia alguma pessoa de quem você goste muito (parente, amigo) venha a precisar de sangue. Inclusive você mesmo!

imagem
Grupo Sanguíneo - Rh - INGOH - Instituto Goiano de Oncologia e HematologiaINGOH - Instituto Goiano de Oncologia e Hematologia
Banco de Sangue Unidades

Grupo Sanguíneo - Rh

Já o sistema Rh possui antígenos localizados em proteínas transmembrana não-glicosilados que parecem ter função de transportadores de amônia. Existem vários antígenos relacionados ao sistema Rh, sendo que o mais importante é o antígeno D, que, na verdade, é o mais importante quando determinamos se um paciente é Rh positivo ou negativo. No entanto, os antígenos “C”, “c”, “E”e “e” são clinicamente relevantes. Não existe o antígeno “d”. Esses antígenos são codificados pelo gene RHD e RHCE. O gene que codifica o antígeno D tem herança autossômica dominante. Na tabela abaixo, temos o grupo sanguíneo Rh baseado exclusivamente no antígeno D.

Os anticorpos contra os antígenos relacionados ao sistema Rh são capazes de produzir hemólise (destruição da hemácia) importante. A maioria dos anticorpos relacionados ao sistema Rh aparecem quando a pessoa é exposta ao antígeno do sangue de outra pessoa, seja por transfusão, seja durante uma gravidez de uma mãe Rh negativo que está gestando um bebê Rh positivo.

- No caso de uma segunda transfusão de sangue Rh positivo em um paciente Rh negativo, poderá ocorrer aglutinação das hemácias doadas, seguido de hemólise, todas os produtos das células destruídas acabam indo parar no rim, que pode parar em consequência disso.

- No caso da mãe Rh negativa, o anticorpo anti Rh atravessa a barreira placentária, entra na circulação do bebê e pode destruir as células vermelhas do bebê, produzindo anemia e, como as hemácias são os grandes transportadores de oxigênio, o bebê pode até ir a óbito. Por isso, deve-se administrar uma vacina que destrói as células Rh positivas na circulação materna sempre que indicado (por exemplo: partos, abortos), evitando que o corpo produza estes anticorpos, afetando as próximas gestações.

Quer ler mais sobre sistema ABO?

Referências:

- FUNG M, GROSSMAN BJ, HILLYER CD, et al. (Eds). Technical Manual, 18th edition, AABB Press, Bethesda, MD 2014.

- GENEBRA. Organização Mundial de Saúde. O Uso clínico do Sangue. (disponível em: http://www.who.int/bloodsafety/clinical_use/en/Module_P.pdf?ua=1, visitado em dezembro de 2016.

- UHL L, Silvergleid AJ (Ed),  Tirnauer JS(Ed). Red blood cell antigens and antibodies. In: UpToDate, Post TW (Ed), UpToDate, Waltham, MA. (Visitado em dezembro, 2016.)

- OMS. Site da Organização Mundial de Saúde: http://www.who.int/bloodsafety/en/