Crises de fibromialgia podem aumentar durante período de pandemia

Estresse e fatores emocionais colaboram para desencadear quadro de dor crônica. Tratamento medicamentoso deve estar associado a hábitos de vida saudável

A pandemia causada pelo novo Coronavírus mudou drasticamente a rotina de todas as pessoas do mundo, seja de forma direta ou indiretamente. O período, rodeado por incertezas, também carrega dúvida, medo, estresse e insegurança por lidar com o desconhecido. Todos sofrem com a vulnerabilidade diante de um inimigo invisível: os colaboradores da Saúde que se desgastam mais durante o plantão e as demais profissões, ainda que não estejam na linha de frente do combate ao vírus, tiveram suas atividades alteradas e, algumas, até suspensas nessa fase.

Esse cenário é prejudicial para os pacientes que sofrem de fibromialgia, síndrome caracterizada por dor crônica que acomete o corpo inteiro e pode durar até três meses. Associado a esse sintoma, fatores como fadiga, cansaço, falta de energia e sensação de edema e inchaço nos pés são frequentemente relatados pelas pessoas diagnosticadas. Esse quadro se agrava com estresse, tensão e preocupação, sensações enfrentadas por leigos e especialistas durante a pandemia de Covid-19.

A Ciência ainda desconhece a causa específica da doença, mas se sabe que fator genético, traumas, infecções por vírus, doenças autoimunes, ansiedade e depressão estão ligados a ela. Por isso, “é extremamente importante que o paciente receba um tratamento global. Temos de entender que não existe um remédio milagroso que vai tirar toda a dor de forma imediata. Quem sofre com fibromialgia, além de tratar os sintomas, deve também tratar as causas. Medicamento auxilia, mas não resolve sozinho”, pontua Kleiner Vasconcelos Pinheiro, médico e diretor do Instituto Goiano de Oncologia e Hematologia (INGOH).

Estudos revelam que cerca de 2,5% da população brasileira sofrem com a doença, que também está associada a alterações gastrointestinais (intestino preso ou diarreia, flatulências e má digestão), má qualidade do sono, ansiedade e depressão. Diante disso, “trabalhamos em cima de causas tratáveis e buscamos melhorar o estilo de vida do paciente. Fatores emocionais são tratados, assim como qualidade do sono e da alimentação, saúde intestinal, deficiências nutricionais e hormonais”, explica o médico. Com vivência em uma abordagem mais funcional e integrativa, Pinheiro ressalta que a atividade física também é um importante aliado no tratamento desse paciente.

Assessoria de Imprensa | INGOH

Mostrando 30 comentários
  • Maria José Pinto Ferreira
    Responder

    Tenho diagnósticos de fibromialgia a + de 25 anos vivo em um sofrimento constante . Só Deus na misericórdia…

    • INGOH
      Responder

      Sentimos muito, Maria. A fibromialgia realmente é uma doença muito difícil, por isso é tão importante buscar acompanhamento médico. Oferecemos tratamentos que podem ajudar a melhorar suas dores, agende uma consulta através de nossa Central de Atendimento: (62) 3226-0200.

  • Carmocelia Rodrigues dos Santos Rosa
    Responder

    Eu tenho essas crises de dores a muitos anos,e ainda não conseguir um tratamento ate hoje.
    Eu não estou mais suportado esse sofrimento.
    Me ajuda pelo amor de Deus.

    • INGOH
      Responder

      Sentimos muito, Carmocelia. A fibromialgia realmente é uma doença muito difícil, por isso é tão importante buscar acompanhamento médico. Oferecemos tratamentos que podem ajudar a melhorar suas dores, agende uma consulta através de nossa Central de Atendimento: (62) 3226-0200.

    • Daniela Santos Rodrigues
      Responder

      Estou em crises de fibromialgia, não consigo nem pentear os cabelos, me sinto muito mal.
      Tenho 38 anos e tenho o diagnóstico de fibromialgia desde os 15 anos.

      • INGOH
        Responder

        Sentimos muito, Daniela. A fibromialgia realmente é uma doença muito difícil, por isso é tão importante buscar acompanhamento médico. Oferecemos tratamentos que podem ajudar a melhorar suas dores, agende uma consulta através de nossa Central de Atendimento: (62) 3226-0200.

  • Lígia Maria Pacheco Viola
    Responder

    Tenho Fibromialgia há dois anos e meio e a um ano não faço mais uso de medicação. Mudei tudo na minha vida desde alimentação, relação inter-pessoal e a forma de como encarar essa doença que para mim veio para me por limites e controlar qualquer descuido meu com meu corpo e alma, pois “A Fibromialgia não me para”.

    • INGOH
      Responder

      Que lindo e sensível depoimento, Lígia. Desejamos-lhe muita saúde e ficamos à disposição para atendê-la, caso seja necessário!

  • Barbara Chifunga
    Responder

    Se fosse até 3 meses como diz a matéria eu não estaria sofrendo a 8 anos….

    • INGOH
      Responder

      Sentimos muito, Barbara. A fibromialgia realmente é uma doença muito difícil, por isso é tão importante buscar acompanhamento médico. Oferecemos tratamentos que podem ajudá-la, agende consulta através de nossa Central de Atendimento: (62) 3226-0200.

      • Cleonice Aparecida Martins
        Responder

        Bom dia tambem tenho muita dor nem consigo dormir tem dia mas os medico nao encontra nada fica cada dia mas fustrada por nao acha nada para aliviar a dor

        • INGOH
          Responder

          Olá, Cleonice. Sentimos muito, estamos torcendo para que você consiga o tratamento ideal e ficamos à disposição para atendê-la!

  • Ana Paula Rodrigues da Silva
    Responder

    Boa tarde, tenho fibromialgia, fui diagnosticada por um Fisiatra, minha mãe também tem, o que mais me incomoda é uma dor no meu abdômen do lado direito, nas costas na região lombar e cervical e também uma dor de cabeça do lado direito muito forte que persiste por muitos dias. Faço acumputura e fisioterapia, a 1 semana ainda não tive resultados, quando fiz as sessões fiquei com mais dores. Vou continuar o tratamento e passar esta informação para os médicos que estão fazendo o meu acompanhamento, e continuarei na esperança de encontrar uma solução para este problema! Espero que todos que estão passando por Este problema continuem na busca do seu tratamento para o seu bem estar.

    • INGOH
      Responder

      Boa tarde, Ana Paula. Muito bom saber que você buscou ajuda médica e está realizando os tratamentos necessários. Estamos torcendo para que logo veja resultados positivos e sinta-se cada vez melhor!

  • JACYLETTE DOS SANTOS FAGUNDES
    Responder

    Tenho Fibromialgia á uns15 anos e levei bem, sem crises muito longas. MAS AGORA ESTOU A 2 MESES COM O BRAÇO ESQUERDO PARALISADO COM MUITA DOR, O DIREITO TBM DOI, O CORPO INTEIRO DÓI, MINHAS PERNAS INCHAM MUITO AO LONGO DO DIA E NÃO DURMO QUASE NADA.

    • INGOH
      Responder

      Olá, Jacylette. Nesse caso, é importante procurar um profissional da saúde para obter um diagnostico completo do problema e iniciar tratamento médico. Estamos torcendo por sua saúde!

  • Simone
    Responder

    Foi justamente a pandemia quem desencadeou no meu corpo, estou fazendo tratamento com suplementação e mudança de hábitos, cuidando mais do mental também, um ortomolecular pode ajudar com esses suplementos, em relação as dores percebi diferença ao tirar alimentos inflamatórios da alimentação, como glúten, açúcar e lactose, quando sinto vontade e como no outro dia vem as dores, pesquisem os Dr. Nivaldo Teles e Dr. Adalto Fibro100, eles tem conteúdos que podem melhorar muito a nossa vida.

    • INGOH
      Responder

      Olá, Simone! Ficamos felizes ao saber que está realizando seu tratamento e vendo os resultados, desejamos a você muita saúde sempre.

  • Allan Cruz Mesquita
    Responder

    Tenho fibromialgia a 3 anos. Tenho 10 hérnias de disco, sem disco causado por degeneração. Fiz durante 2 anos fisioterapia e acupuntura, e só piorei. Moto que quando tomo injeção tem dores generalizada fortíssima e insuportável que nem tomando morfina passa. Mesmo tomando remédio só durmo 3 horas por noite, vivo muito cansado o dia a dia.

    • INGOH
      Responder

      Sentimos muito, Allan. A fibromialgia realmente é uma doença muito difícil, por isso é tão importante buscar acompanhamento médico. Oferecemos tratamentos que podem ajudar a melhorar suas dores, agende uma consulta através de nossa Central de Atendimento: (62) 3226-0200.

  • Adelaide Silva
    Responder

    Eu sofro com fibromialgia há muitos anos. Tenho momentos de crises muito fortes. Fui diagnosticada quando vivia na Inglaterra, o frio piorava por isso vim viver para Angola que tem clima tropical achando que deixaria de ter crises mas na realidade continuo na mesma. Neste preciso momento estou em crise há mais de um mês e nada me ajuda. Aqui não encontro apoio médico, dizem simplesmente para continuar a tomar a medicação que trouxe da Inglaterra. Amitriplitina ant inflamatórios e para as dores. Estou cansada de tantas dores. Preciso de ajuda.

    • INGOH
      Responder

      Olá, Adelaide. Sentimos muito, a fibromialgia realmente é uma doença muito difícil.
      Estamos torcendo para que você consiga o tratamento ideal e, caso venha a Goiânia, nossa equipe estará à disposição para atendê-la!

  • Sara
    Responder

    Complicado e aínda tem gente que não entende, tou sofrendo horrores

    • INGOH
      Responder

      Olá, Sara. Sentimos muito, a fibromialgia realmente é uma doença muito difícil que precisa ser discutida.
      Estamos torcendo para que você consiga o tratamento ideal e estamos à disposição para atendê-la!

  • Nelson
    Responder

    Olá! Boa Noite! Sofro com esse problema desde os 12 anos , mas só tive o diagnóstico a 4 anos. Hoje tenho 46 anos.
    Tomo medicamentos ansioliticos, recaptadores de serotonina, hipnótico para dormir, analgésicos que age no SNC.
    Mesmo assim tenho crises de dores terríveis. Neste momento estou com dores fortissimas em ambas as pernas, além das outras de praxe.
    Infelizmente estou desanimando!

    • INGOH
      Responder

      Olá, Nelson. Sentimos muito, a fibromialgia realmente é uma doença muito difícil, por isso é tão realizar acompanhamento médico.
      Torcemos para que você consiga o tratamento ideal e estamos à disposição para atendê-lo!

  • Anderson Silva
    Responder

    Sinto dores pelo meu corpo todo, inclusive nas articulações, peito e costas. Já fiz vários exames e até agora não me disseram qual é o meu diagnósticos, sempre deixando interrogado sem uma resposta exata. Tomo 3 comprimidos de amitripitilina, pregabalina, quetiapina e miosan e mesmo assim continuo com muitas dores. Quando tomo esses remédios fico sonolento durante o dia inteiro, uma fadiga imensa, mas nada de sinal dessas dores passar. Já não aguento mais ir ao médico, me passarem remédios 3 nada me resolverem.

    • INGOH
      Responder

      Sentimos muito, Anderson, a fibromialgia realmente é uma doença muito difícil. Estamos torcendo para que você consiga o tratamento ideal!

  • Márcia VALÉRIA DA SILVA
    Responder

    Ola meu nome e Márcia e a uns 8 meses tive este diagnóstico fibromialgia realmente acredito ser emocional pois ja nasci estresada e para completar tenho discopatia cervical e lombar na coluna pois trabalhei muito como cabelereira 27 anos ! Outro dia tive uma dor de cabeça so do lado esquerdo que saia dos olhos andava a cabeça e descia pra minha mandibula tudo do lado esquerdo foi muito forte pensei que ia morrer e meu ouvido esquerdo de vez em quando parece que tem um bicho la dentro mexendo tremendo. Tem a ver com a fibromialgia? Tenho 53 anos obrigada

    • INGOH
      Responder

      Olá, Márcia! Apenas com essas informações não conseguimos responder sua dúvida. Recomendamos que você realize um acompanhamento médico, para realizar o tratamento adequado de acordo com seus sintomas e resultados de exames!

Deixe um Comentário