Curiosidades sobre grupos sanguíneos - INGOH - Instituto Goiano de Oncologia e HematologiaINGOH - Instituto Goiano de Oncologia e Hematologia
Home Dicas de Saúde Curiosidades sobre grupos sanguíneos
 
 

Curiosidades sobre grupos sanguíneos

Elaborado por:
Dra. Mireille Guimarães Vaz de Campos
Curiosidades sobre grupos sanguíneos  

Os grupos sanguíneos foram descobertos no início do século XX pelo cientista austríaco Karl Landsteiner que, em 1930, ganhou o Prêmio Nobel de Medicina por esse trabalho. Esse achado trouxe grande progresso na Medicina Transfusional, mas também trouxe algumas teorias de associação destes grupos sanguíneos com outras situações, algumas clínicas, outras não.

Por exemplo, a cultura japonesa leva bastante a sério a relação entre o tipo sanguíneo e a personalidade de um indivíduo, chegando a ter um “horóscopo sanguíneo” publicado em jornais e publicações populares, inspirados pelos estudos de Tokeji Furukawa.

Deixando essa teoria de associação com personalidades de lado, alguns temas ainda permanecem relevantes, como a associação de determinados tipos de sangue com alguns tumores e a proteção que alguns alguns tipos sanguíneos apresentam à infecções, como malária.

Os principais sistemas são os grupos ABO e Rh, mas outros grupos também são importantes dos ponto de vista clínico e os principais estão listados abaixo. As principais complicações de incompatibilidades são a reação transfusional hemolítica e a doença hemolítica do feto e do recém-nascido.

Várias situações vêm sendo associadas com os grupos sanguíneos, mas o seu papel final no manejo do paciente ainda é incerta.

- O grupo sanguíneo O tem cerca de 20-30% menos fator de von Willebrand que os tipos A, B ou AB, por aumento no clearance (retirada da circulação). Especulações existem de que o grupo O teria, então, menor risco de trombose.

- Câncer gástrico ocorre com mais frequência no grupo sanguíneo tipo A.

- Úlceras (gástricas e duodenais) ocorrem com mais frequência no grupo sanguíneo tipo O.

- Câncer pancreático parece ser mais comum naqueles que não são O (A, AB e B).

- O fenótipo null pode estar associado à perda de outras proteínas produzidas por células, como ausência de um componente do sistema complemento (fenótipo null para sistema Chido-Rodgers).

Quem tem um determinado grupo de sangue não precisa ficar mais ou menos preocupado. Estes dados são muito mais curiosidades do que atestados de que a pessoa terá esta ou aquela doença. Outros fatores parecem ser muito mais importantes no desenvolvimento destas doenças do que os antígenos do grupo sanguíneo.

Quer ler mais sobre grupos sanguíneos, clique nos links abaixo:

- Grupos sanguíneos

- Grupo sanguíneo ABO

- Grupo sanguíneo Rh

Texto elaborado em dezembro de 2016.

 

Referências:

- DANIELS G, REID ME. Blood groups: the past 50 years. Transfusion. 2010 Feb;50(2):281-9. Epub 2009 Nov 09. 

- FLEGEL WA. Pathogenesis and mechanisms of antibody-mediated hemolysis. Transfusion. 2015 Jul;55 Suppl 2:S47-58. 

- FUNG M, GROSSMAN BJ, HILLYER CD, et al. (Eds). Technical Manual, 18th edition, AABB Press, Bethesda, MD 2014.

- GENEBRA. Organização Mundial de Saúde. O Uso clínico do Sangue. (disponível em: http://www.who.int/bloodsafety/clinical_use/en/Module_P.pdf?ua=1, visitado em dezembro de 2016)

- NOMI T & BESHER A. You Are Your Blood Type: the biochemical key to unlocking the secrets of your personality. New York: Pocket Books, 1988.

- UHL L, Silvergleid AJ (Ed),  Tirnauer JS(Ed). Red blood cell antigens and antibodies. In: UpToDate, Post TW (Ed), UpToDate, Waltham, MA. (Visitado em dezembro, 2016.)

- OMS. Site da Organização Mundial de Saúde: http://www.who.int/bloodsafety/en/