O sangue doado não é vendido! - INGOH - Instituto Goiano de Oncologia e HematologiaINGOH - Instituto Goiano de Oncologia e Hematologia
Home Dicas de Saúde O sangue doado não é vendido!
 
 

O sangue doado não é vendido!

O sangue doado não é vendido!  

Muitas pessoas acreditam que os bancos de sangue da rede privada, coletam o sangue que é DOADO (ou seja, coletado do doador) e vendem ao paciente que precisa de transfusão. Isso não é verdade, pois os bancos de sangue particulares atendem a pacientes do SUS, da mesma forma que atende aos pacientes de convênios e particulares. Aproximadamente 50% do atendimento dos bancos de sangue particulares são destinados a pacientes do SUS.

O que é pago na transfusão?

Quando falamos em pagamento, estamos nos referindo ao pagamento dos processos pelo qual o sangue passa, antes de ser transfundido, e não pelo sangue (matéria-prima) que foi doado. O SUS, o convênio, ou o próprio paciente pagam pelos exames realizados no sangue, além do material utilizado no processamento, armazenamento e infusão do sangue que foi anteriormente doado.

E se o sangue foi doado por um parente ou amigo do paciente, por que deve ser pago?

Independente de quem tenha sido o doador, devem ser feitos os exames para as doenças transmissíveis pelo sangue (por exemplo AIDS, HEPATITES B e C, SÍFILIS e outras), testes de compatibilidade entre doador e receptor e várias outras análises são realizadas naquele sangue doado. Isso irá garantir uma transfusão segura e de qualidade.

Como é feito o pagamento das transfusões?

O governo, através da Secretaria de Saúde, destina uma verba para o pagamento das transfusões para os pacientes internados pelo SUS. Caso esse paciente esteja internado, em algum hospital público, ele será atendido pelo HEMOCENTRO, mas se estiver internado pelo SUS, em hospitais particulares conveniados, esse paciente será atendido por um banco de sangue privado, também conveniado ao SUS.

Quer dizer que posso ajudar pacientes do SUS doando em qualquer banco de sangue em Goiânia?

Sim, pois todos os bancos de sangue privados de Goiânia são conveniados ao SUS.

E no caso dos convênios? Quem paga pela transfusão?

Os próprios convênios é que irão arcar com a parte financeira, ou seja, o paciente paga um convênio “X” e seu plano paga (cobre) as transfusões de sangue. O paciente é internado em um hospital particular, que atende seu convênio e o banco de sangue privado vai realizar a transfusão do sangue, pelo convênio do paciente.

No caso de pacientes particulares, quem vai pagar?

Nesse caso, o paciente ou a família, irá arcar com as despesas da transfusão realizada. Podendo, a qualquer momento, entrar em contato, negociar valores e formas de pagamento.

Se o sangue foi pago (pelos exames feitos no sangue e pelos procedimentos transfusionais), por que a família ainda tem que encaminhar doadores ao banco de sangue para reposição?

Justamente para repor o estoque de sangue que foi doado por alguém, anteriormente, e transfundido no parente ou amigo desse novo doador. Ou seja, se você não doar, o próximo paciente, ou até mesmo seu parente ou amigo, caso precise novamente, ficará sem ser transfundido por falta de matéria-prima, que é o sangue que será coletado.

Explicando melhor: nem o SUS, nem os convênios e nem os familiares poderão pagar por exames e testes transfusionais de um sangue que não existe no estoque.

E o que eu ganho doando sangue?

No Brasil, é proibido qualquer tipo de remuneração para doação de sangue. Além do bem estar de ajudar o próximo, você estará contribuindo para o surgimento de um mundo melhor, mais humano e com respeito ao seu semelhante. Quem recebe pode ser um parente, um amigo muito próximo, e até mesmo um desconhecido que, mesmo sem saber quem forneceu o sangue que o salvou, vai agradecê-lo pelo resto da vida!

CASO TENHA FICADO ALGUMA DÚVIDA, TEREMOS O MAIOR PRAZER EM CONVERSAR COM VOCÊ.

VOCÊ É NOSSO MAIOR COLABORADOR! SEM VOCÊ TUDO SERIA IMPOSSÍVEL DE SER REALIZADO, E MUITAS VIDAS DEIXARIAM DE SER SALVAS!!!

Leia aqui os Direitos do Doador.