Entendendo os sintomas da anemia

Anemia ocorre quando há uma redução na quantidade de células vermelhas do sangue e pode ser identificada no exame chamado de hemograma.

O sangue é constituído por uma fase líquida, que é chamada de plasma, e vários constituintes celulares que são as células brancas (leucócitos), as plaquetas (trombócitos) e as células vermelhas (também conhecidas como hemácias).

  • Os leucócitos são de diversos tipos (neutrófilos, linfócitos, monócitos, eosinófilos, basófilos) e estão implicados na defesa do corpo.
  • As plaquetas estão comprometidas com o controle de sangramento, evitando assim que o sangue saia de dentro dos vasos, também chamado de sistema vascular.
  • As hemácias, por sua vez, são células  cuja principal função é o transporte de oxigênio através de uma molécula que está dentro da hemácia e se chama hemoglobina. 

Quando há redução na quantidade de hemácias e, portanto, redução na quantidade de hemoglobina, nosso organismo acaba apresentando uma diminuição na capacidade de distribuir o oxigênio. Como nosso corpo é um excelente gestor, ele tem inúmeras estratégias para lidar com essa situação. A estratégia de resposta mais rápida é sobrecarregar o sistema que bombeia o sangue, ou seja, o coração. Assim, quando um paciente tem anemia de instalação rápida, os primeiros sinais são o aceleramento do coração (taquicardia) e o aumento da força de bombeamento do coração (débito cardíaco). Caso o paciente tenha algum problema no coração, ou nos casos onde a anemia é muito intensa, o coração poderá apresentar sinais de falha nesta tentativa de ajuste. Os sinais dessa falha são falta de ar, dor no peito, redução na pressão arterial, além de confusão mental e desmaios, por redução na oxigenação cerebral.

Para evitar essa situação grave, nosso corpo também utiliza formas de adaptação para poupar o coração, através de uma alteração na distribuição do fluxo sanguíneo, predominando a entrega do oxigênio para órgãos nobres como o coração e o cérebro. Dessa forma, haverá palidez cutânea, por redução do fluxo sanguíneo na pele, alterações nas unhas, no cabelo, fraqueza muscular, dentre outros sintomas.

Quando a anemia se instala de forma lenta, ocorrem alterações enzimáticas e metabólicas, que alteram a afinidade do oxigênio pela hemoglobina, permitindo que o oxigênio seja liberado mais facilmente para os tecidos. É por isso que  pacientes com anemia de instalação lenta (deficiência de ferro, por exemplo) acabam tendo menos sintomas que aqueles casos de instalação mais rápida (sangramento agudo, por exemplo).

Independente da causa, os casos de anemia apresentam estes sintomas relatados em comum. Isso não significa que a identificação da causa não seja importante. Se a causa não for identificada, a anemia não poderá ser curada. Sim, a maioria dos casos de anemia podem ser curados se a causa for identificada adequadamente.

Lembre-se que o seu médico é sempre a melhor fonte de informação para o seu caso específico.

 

Quer ler mais sobre o hemograma? clique aqui

Quer ler mais sobre a anemia falciforme? clique aqui

Quer ler mais sobre a anemia por deficiência de ferro? clique aqui

Fique atento a esta página estaremos publicando mais sobre cada tipo de anemia em breve

 

 

Texto elaborado e revisado por
Dra. Mireille Guimarães Vaz de Campos  
Médica  do corpo clínico do INGOH
Especialista em Hematologia – Hemoterapia
CRM-GO 12.406/RQE 22965.
Texto revisado em Junho de 2021.

 


Referências:

Deixe um Comentário