Plasma convalescente – transferência de anticorpos que auxilia no tratamento da Covid-19

Hemocomponente pode ser doado por quem testou positivo para a doença causada pelo novo Coronavírus e processo pode ser repetido até quatro vezes em dois meses. Pacientes graves podem ser beneficiados

Na manhã desta quarta-feira (24), a doutora Mireille Guimarães, hematologista do Instituto Goiano de Oncologia e Hematologia (INGOH), concedeu entrevista ao Jornal Bom Dia Goiás, da TV Anhanguera – filiada Globo, para explicar sobre o uso do plasma convalescente no tratamento contra a Covid-19. O hemocomponente tem sido utilizado como tratamento experimental para pacientes acometidos pela síndrome respiratória causada pelo novo Coronavírus. Considerando evidências atuais da literatura médica, a transferência de anticorpos presentes no sangue de pessoas já curadas, auxilia no combate do vírus ativo.

A médica alerta para o fato de que as vítimas da Covid-19 podem apresentar complicações respiratórias graves com necessidade de suporte de oxigênio. “Nesse momento, nós temos poucas armas para o tratamento da Covid-19 e os pacientes mais graves, como aqueles internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e dependentes de respiração mecânica, têm sido beneficiados com essa terapia”, pontua a médica. “Apesar de ainda ser uma técnica experimental no mundo inteiro, os resultados têm sido muito bons!”, observa.

Homens e mulheres, acima dos 18 anos, que tiveram testagem positiva para o novo Coronavírus e estejam sem sintomas há, pelo menos, 14 dias podem fazer a doação de plasma. “Em um processo semelhante ao de coleta de plaquetas, uma máquina retira o plasma do sangue e devolve todos os demais componentes para o doador. Esse processo possibilita que um único doador possa doar plasma até quatro vezes em um período de dois meses. A partir disso, conseguimos fornecer o anticorpo, que é um dos sistemas de defesa do organismo, para ajudar o paciente grave a lutar contra a Covid-19”, salienta Guimarães.

Em conjunto com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), o Ministério da Saúde (MS) determinou que a coleta de plasma convalescente para Covid-19 seja feita, exclusivamente, por serviços de hemoterapia regularizados junto à Vigilância Sanitária. A iniciativa se mostra de suma importância na luta contra o novo Coronavírus e foi endossada pela Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH).

Pensando na segurança dos doadores e para não estimular a transmissão do novo Coronavírus, o INGOH está trabalhando com doações pré-agendadas. Os interessados em doar plasma convalescente devem entrar em contato com a instituição pelos números (62) 3226-0200 ou (62) 99678-6888.

Confira entrevista completa.

Assessoria de Comunicação | INGOH

Comentários
  • Rc Cursos Online
    Responder

    Sou Vanessa Da Silva, gostei muito do seu artigo seu conteúdo vem me ajudando bastante, muito obrigada.

Deixe um Comentário