Home Quimioterapia Efeitos da Quimioterapia no Sistema Reprodutor Quimioterapia Sobre

A quimioterapia consiste no emprego de medicamentos, chamados quimioterápicos, para combater células doentes (cancerígenas), destruindo e/ou controlando seu desenvolvimento. O tratamento com medicamentos anticâncer é um dos quatro métodos de se atacar o câncer. Pode ser utilizada com qualquer um dos outros métodos: radioterapia, imunoterapia e cirurgia, dependendo de fatores como tipo de tumor, localização e estágio da doença. Alguns dos medicamentos já estão amplamente testados e são encontrados no comércio. Outros, entretanto, ainda são drogas em investigação, estão sendo extensivamente pesquisadas e não estão disponíveis para todos.

Podem ser ministradas isoladamente (monoquimioterapia) ou combinadas (poliquimioterapia). Sendo esta última a que apresenta resultados mais eficazes, pois consegue maior resposta a cada aplicação, diminui o risco de resistência às drogas e consegue atingir as células em diferentes fases do seu ciclo.

O INGOH está preparado para administrar seu tratamento quimioterápico. Uma equipe experiente sempre comprometida com o seu bem-estar permanece ao seu lado em cada fase do tratamento.

imagem
Efeitos da Quimioterapia no Sistema Reprodutor - INGOH - Instituto Goiano de Oncologia e HematologiaINGOH - Instituto Goiano de Oncologia e Hematologia
Quimioterapia Unidades

Efeitos da Quimioterapia no Sistema Reprodutor

Em geral, não ocorrerá concepção enquanto a mulher estiver do quimioterapia. Entretanto, isso é possível, mas, na maioria dos casos, é clinicamente indesejável. Em homens, algumas vezes ocorre uma esterilidade temporária pela quantidade reduzida de espermatozóides, durante o tratamento pela quimioterapia. É importante discutir com o médico qual o método anticoncepcional mais indicado seu caso. Pílulas só podem ser usadas se aprovadas pelo médico.

Após a quimioterapia, a possibilidade de conceber é variável, mas, eventualmente pode resultar em infertilidade permanente. Muitos pacientes têm tido filhos depois do tratamento de quimioterapia. Se você tiver alguma dúvida quanto a isso, procure discutir o assunto com o seu médico.

Apesar da possibilidade de esterilidade em alguns homens, sua potência ou capacidade de ter uma ereção e ejacular não costuma ser afetada pela quimioterapia. No entanto, recomenda-se evitar o ato sexual durante períodos com contagens de plaquetas muito baixas. Além disso, o uso de preservativo reduz a possibilidade de infecção local nos casos de pacientes com redução da imunidade (defesas do organismo contra infecções) pelo tumor ou pelo tratamento.