Edit Content
Search

Importante etapa no diagnóstico preciso do câncer de mama

Patologia molecular influencia no tratamento oncológico. INGOH é referência e recebe cerca de 70% das amostras de Goiás

A patologia molecular possui uma importância fundamental no tratamento do câncer de mama, já que é partir destes exames e análises que a equipe descobrirá, por exemplo, qual o tipo particular do tumor, o grau histológico, sua extensão e agressividade. Informações que são imprescindíveis para as definições das estratégias terapêuticas de todos os profissionais que acompanham a paciente. Quando há essas informações, surge um novo capítulo no diagnóstico, pois se torna possível especificar e direcionar o acompanhamento clínico e cirúrgico.

“Na oncologia moderna, a patologia tem um papel central e determinante em várias etapas,
pois é o laboratório de patologia e o patologista que prepara, processa, acondiciona e preserva o material biológico do paciente obtido por pulsões, biópsias e cirurgias terapêuticas”, explica o responsável técnico pelo laboratório de Patologia do INGOH, Sebastião Alves Pinto (foto).

Um diagnóstico preciso e o uso de medicamentos direcionados de forma molecular trouxeram avanços significativos no tratamento de câncer nos últimos anos. Atualmente, o laboratório do INGOH recebe cerca de 70% das amostras de Goiás que precisam ser analisadas. Isso reforça o trabalho sério e de qualidade que a unidade desenvolve na rede de saúde estadual, tornando- se referência na área no Centro-Oeste.

O patologista explica que, no caso particular dos tumores mamários, a classificação molecular definidora das estratégias terapêuticas vem a partir da identificação dos tumores luminais A, luminais B, os HER2 enriquecido e os triplo negativos. “Essas confirmações são feitas através de análise proteômica e genômica de espécimes biológicos dos tumores sob responsabilidade do profissional patologista”, conclui.

Sendo assim, já sabe: se precisar de algum exame, venha para o INGOH!

Venci uma grande etapa no tratamento de câncer de mama, e agora?

Muito além de meros acontecimentos, o diagnóstico e tratamento do câncer de mama compõem uma verdadeira jornada emocional e física desafiadora para qualquer mulher. A batalha contra a doença é prova de força, coragem e determinação e, quando finda, uma nova fase se inicia, repleta de aprendizado e esperança.

O futuro pode ser desejado, mas não está escrito… E tudo o que acontece tem um propósito maior. O câncer não é mais o meu vilão. Ele se tornou o meu professor. E como boa aluna que sempre fui tenho aprendido cada lição com a sabedoria que nem eu sabia que possuía. Se abra para se redescobrir, se reconectar consigo mesmo e reaprender a viver. Essa tem sido uma oportunidade extraordinária para me amar e me conhecer cada dia mais.”

Ana Furtado

Esta é uma frase da atriz Ana Furtado, que vivenciou a trajetória contra o câncer de mama, diagnosticado em 2018. Inspirados nesta e nas milhares de mulheres que enfrentaram ou estão enfrentando a doença, separamos algumas dicas e indicações do que fazer após vencer uma grande etapa no tratamento de câncer de mama.

Celebre cada vitória

Venci uma grande etapa no tratamento de câncer de mama, e agora? Comemore. O primeiro passo, sem dúvidas, é comemorar. Celebre com os amigos, com a família, com a sua rede de apoio, vivencie a satisfação desse momento tão especial. Esta é a hora de reconhecer a sua própria força e coragem durante todo o processo.

Mantenha um acompanhamento médico regular

Assim como ao longo de todo o tratamento, é essencial seguir com as consultas e exames de rotina de forma regular e periódica para monitorar a sua recuperação, prevenir possíveis recorrências e tratar os efeitos colaterais que podem aparecer. Mantenha suas consultas em dia.

Adote uma vida saudável

Se você já não investia em um estilo de vida saudável antes, chegou a hora. Adotar hábitos saudáveis será fundamental para fortalecer o seu corpo e a sua mente. Isso inclui uma alimentação balanceada, rica em nutrientes, a prática regular de exercícios físicos e a gestão do estresse. Evite o consumo de tabaco e álcool, estes são passos importantíssimos na manutenção da sua saúde e bem-estar.

Mente sã, corpo são

O ditado já diz: mente sã, corpo são. Invista na sua saúde mental, já que a jornada contra o câncer de mama pode ser marcada por uma série de emoções complexas, como medo, ansiedade e até mesmo depressão. Buscar apoio emocional não é sinal de fraqueza, pelo contrário, demonstra sua força. Aposte em terapia, grupos de apoio ou até mesmo conversas com entes queridos, isso será fundamental para manter a sua saúde mental equilibrada.

De volta à rotina

A reintegração à vida cotidiana pode ser um passo desafiador, mas também é uma oportunidade de redefinir prioridades, por exemplo. Considere quais atividades e relações são verdadeiramente significativas para você e como você deseja passar o seu tempo daqui para frente.

Rastreamento e prevenção contínua

É preciso manter o rastreamento e a prevenção. É essencial manter os exames de rotina em dia e seguir as orientações médicas mesmo após vencer uma grande etapa do tratamento. Essa é uma forma de monitorar os efeitos colaterais e possíveis sequelas.

Seja inspiração

Você sabia que pode ser inspiração para outras mulheres? Compartilhe sua história de superação, dessa forma, além de se tornar inspiração e apoio para outras mulheres que estão enfrentando o câncer de mama, você auxilia na conscientização da prevenção.

Gratidão pela vida 

A jornada após vencer uma grande etapa no tratamento de câncer de mama é uma oportunidade para cultivar a gratidão pela vida. Cada dia é um novo presente, uma nova chance, e enfrentar e superar uma batalha como a luta contra o câncer de mama é motivo de orgulho.

E para saber mais sobre esse e outros temas, acompanhe também nossas redes sociais. Lá você encontra dicas, notícias e muito mais. Acesse nosso Instagram e Facebook.

INGOH: referência em tratamento do câncer de mama

Unidade possui andar exclusivo dedicado a cuidados oncológicos e atende quase metade de pacientes com tumores mamários com plano de saúde de Goiás

A Campanha Outubro Rosa é dedicada à conscientização sobre a importância da prevenção do câncer de mama, uma doença que afeta milhões de mulheres em todo o mundo. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), para o ano de 2023, a estimativa ultrapassa os 73 mil novos casos da doença, no Brasil.

Em 2023, o INGOH estima atender mais de 2900 pacientes oncológicos no geral; desses, 1551 devem ser de câncer de mama. Esse tipo de tratamento pode superar 8600 atendimentos na unidade. No ano passado, o INGOH atendeu 2300 casos de câncer, sendo 1100 de neoplasia mamária, o que gerou 8100 atendimentos.

Esses números mostram o crescimento da instituição no que diz respeito à assistência do câncer de mama, confirmando a referência que o INGOH tem no mercado goiano. Para se ter uma ideia, o INGOH recebe praticamente a metade de novos casos de câncer de mama atendidos por planos de saúde em Goiás, segundo estatística realizada pela CFO da unidade, Fabiane Fries.

Explicamos. Segundo a publicação Estimativa 2023 – Incidência de Câncer no Brasil, do INCA, a projeção para o estado de Goiás, no ano de 2023, é de 1970 novos casos de câncer de mama, o que gera uma média de 164 novos casos por mês, sendo que 43 devem ser em pacientes da rede suplementar, uma vez que somente 26% da população brasileira possui plano de saúde, conforme Pesquisa Nacional de Saúde – PNS/2019. Se considerarmos que a instituição deve receber 243 novos pacientes de câncer de mama (média de 20,25 por mês), em 2023, metade dos novos casos serão atendidos no INGOH.

O oncologista e membro do corpo clínico da unidade, Leandro Gonçalves ressalta como o diagnóstico precoce é importante nessa jornada. Segundo ele, “o câncer de mama é uma doença que pode ser curada e é importante que esses novos casos sejam diagnosticados em estágio inicial para que assim, a gente consiga aumentar as chances de cura desses pacientes”.

Gonçalves relata o impacto da pandemia de Covid-19 no diagnóstico precoce desse tipo de câncer. “Infelizmente, nesse período, a gente notou que as pacientes deixaram de fazer exames e com isso, tivemos de dar diagnósticos em fases mais tardias da doença. Em estágio mais avançado, isso tem um grande impacto nas chances de cura dessas pacientes”, pontua o médico.

Por isso, é importante que as mulheres façam mamografia anualmente, a partir dos 40 anos, conforme recomendação da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM).

No INGOH, oferecemos atendimento completo e humanizado para pacientes com câncer de mama e possuímos um andar dedicado exclusivamente aos cuidados oncológicos. Nossa equipe multidisciplinar envolve: oncologia clínica, aconselhamento genético, medicina integrativa, cardio-oncologia, odonto-oncologia, farmácia clínica, anatomia patológica e mastologia, além de psicólogo, nutricionista, musicoterapeuta e ioga terapeuta.

Somos referência no tratamento do câncer de mama no estado de Goiás e nosso principal objetivo é oferecer tratamento humanizado, ético e moderno para os nossos pacientes.

Conte com o INGOH para cuidar da sua saúde e bem-estar!

Câncer de Mama em Jovens: conscientização e prevenção

Dados revelam aumento significativo em diagnósticos de câncer de mama entre mulheres com 40 anos ou menos

Outubro é o mês da conscientização sobre o câncer de mama, uma doença que não faz distinção entre idades, afetando tanto pacientes maduras, quanto as mais jovens. Embora a mamografia seja tradicionalmente recomendada a partir dos 40 anos, conforme orientação da Sociedade Brasileira de Mastologia, anualmente, dados recentes revelam um aumento significativo nos diagnósticos de câncer de mama entre mulheres idade inferior à preconizada.

De acordo com estatísticas recentes do National Breast Cancer Foudantion, o câncer de mama é a principal causa de morte, decorrente de tumor maligno, em mulheres abaixo de 40 anos. O dado não deve ser ignorado, pois destaca a importância de que todas as faixas etárias estejam conscientes dos riscos e adotem medidas de prevenção. Segundo o oncologista do INGOH Dr. Leandro Gonçalves, de 5 a 10% dos casos dessa neoplasia se desenvolve em mulheres jovens.

“Quando a gente compara com pacientes que têm mais de 40 anos, em geral, o câncer de mama em jovem possui características biológicas mais agressivas e são detectadas em estágios mais avançados”, explica o especialista.

As pacientes, muitas vezes, precisam de várias formas de tratamento, como quimioterapia, radioterapia e tratamentos anti-hormonais. Por causa disso, o médico explica que os efeitos colaterais desses tratamentos acabam sendo mais citados pelas jovens que estão em terapia.

“Em uma fase muito precoce da vida, elas já precisam conviver com sintomas relacionados a infertilidade, menopausa precoce, alterações da autoimagem, como mudanças relacionadas ao tratamento cirúrgico e à queda de cabelo”, ressalta.

É fundamental lembrar que o câncer de mama em estágios iniciais é frequentemente tratável e tem taxas de sobrevivência mais altas. Portanto, qualquer mudança nos seios, como nódulos, dor persistente ou alterações na pele, deve ser imediatamente avaliada por um médico, independentemente da idade.

Aproveite a Campanha Outubro Rosa e agende uma consulta. No INGOH temos equipe especializada para essa avaliação.

Outubro Rosa: mês da conscientização sobre o câncer de mama

No mês da conscientização sobre o câncer de mama, entenda a importância de um diagnóstico precoce.

A primavera tem muitas cores mas, em outubro, a mais bonita delas é, sem dúvidas, o rosa. Isso porque a causa é nobre: conscientização sobre a importância da prevenção contra o câncer de mama. Ainda que este deva ser um tema atemporal, neste mês ele é colocado em alta e o Instituto Goiano de Oncologia e Hematologia (INGOH), como em todos os anos, está engajado nesta causa, em mais um ano de Outubro Rosa.

Para falar sobre o tema, o INGOH convidou o Dr. Leandro Gonçalves, Oncologista Clínico e especialista no assunto, que explicou sobre a importância do rastreamento e diagnóstico precoce para maior chance de cura da doença. Acompanhe.

Outubro Rosa – O que é o Câncer de Mama

Segundo o Instituto Nacional de Câncer – INCA, o câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação desordenada de células anormais da mama, que formam um tumor com potencial de danificar outros órgãos. A doença é mais comum em mulheres, mas pode acometer homens, que representam 1% dos casos.

Para saber mais sobre o câncer de mama em homens, confira: Câncer de mama também é papo de homem.

Cenário do Câncer de Mama no Brasil

Como bem pontua Dr. Leandro Gonçalves, depois do câncer de pele não-melanoma, o câncer de mama é o mais comum na mulher brasileira, em todas as regiões do país. O doutor cita dados do INCA, “para o ano de 2023, a estimativa é de cerca de 73 mil casos novos de câncer de mama e cerca de 1970 casos novos no estado de Goiás”.

Você encontra mais estimativas no conteúdo: 704 mil novos casos de câncer de mama para 2023.

Diagnóstico precoce do Câncer de Mama: a chave para um tratamento de sucesso

Dr. Leandro ressalta que “infelizmente, por conta, principalmente, da pandemia do COVID-19, é possível notar que as pacientes têm feito diagnóstico em uma fase mais tardia da doença e isso tem impacto diretamente proporcional à chance de cura dessas pacientes”. É o que nos conta também o artigo Diagnóstico para câncer de mama cai durante pandemia.

Segundo a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (FEMAMA), o câncer de mama pode ter até 95% de chance de cura se diagnosticado e tratado precocemente. E é aqui que reside a importância da prevenção.

A respeito do diagnóstico precoce:

 “o rastreamento é importante porque é a maneira mais eficaz de se fazer o diagnóstico da doença em estágio inicial. (…) É importante que o câncer de mama seja diagnosticado em uma fase inicial para que possamos ter elevadas taxas de cura e para que as pacientes possam receber tratamentos menos tóxicos.”

Dr. Leandro Gonçalves

Então, afinal, por que o diagnóstico precoce é tão importante? Além da chance de cura ser muito maior, segundo Dr. Leandro, é dessa forma que se torna possível prescrever tratamentos menos tóxicos, as cirurgias serem menos agressivas e as quimioterapias, menor intensidade.

Em casos de diagnóstico tardio do Câncer de Mama

No caso de pacientes que recebem diagnóstico tardio, em fase avançada do câncer de mama, o objetivo do tratamento é a paliação, o controle dos sintomas e a melhora do bem-estar. Ainda assim, mesmo nestes casos, tem se conseguido avançar com novas medicações e novos tratamentos, sendo possível dizer que o câncer de mama pode ser considerado uma doença crônica, com pacientes vivendo por anos com qualidade de vida e mantendo o bom controle da doença.

Sequelas do tratamento de Câncer de Mama

Nem todos os casos de câncer de mama possuem sucesso em diagnóstico precoce e acabam passando por intensos tratamentos de radioterapia e quimioterapia, os quais deixam sequelas devido às toxicidades relacionadas.

Conforme explica Dr. Leandro, “essas toxicidades podem ser agudas, que são aquelas durante o tratamento e durante alguns meses após o tratamento e as toxicidades crônicas, que são aquelas toxicidades a longo prazo.”.

Hoje, as tecnologias permitem que sejam feitas quimioterapias com menos efeitos colaterais, minimizando efeitos tóxicos como o da alopecia (queda acentuada dos cabelos), por exemplo.

Um convite à prevenção

Neste mês de outubro, especialmente, oINGOH te convida a se prevenir, a realizar o autoexame e o rastreamento por meio da realização regular da mamografia. Agende sua consulta clicando aqui.

Logo abaixo você confere na íntegra o vídeodo Dr. Leandro Gonçalves. E para mais conteúdos como este, siga o INGOH nas redes sociais. Lá você também encontra dicas, notícias e muito mais. Acesse nosso Instagram e Facebook.

O papel da nutrição no tratamento do câncer

Nutrição no tratamento oncológico

Sabemos que o tratar o câncer é um processo complexo e por isso durante o tratamento oncológico diversas especialidades trabalham de forma conjunta para melhorar a qualidade de vida do paciente, a nutrição é uma dessas especialidades.

Como referência no assunto, o Instituto Goiano de Oncologia e Hematologia – INGOH tem se dedicado incansavelmente à pesquisa para o tratamento de pacientes oncológicos, de forma a proporcionar uma abordagem abrangente e multidisciplinar para enfrentar a doença, contemplando o cuidado integral.

Uma dieta equilibrada e adequada pode ser capaz de melhorar a qualidade de vida dos pacientes, ajudar a reduzir os efeitos colaterais do tratamento e ainda fortalecer o sistema imunológico. Desse modo, as chances de uma boa resposta ao tratamento são maiores. Entenda melhor a seguir

“A equipe de enfermagem explicou a importância da conferência dos descritores contidos na pulseira de identificação que devem ser conferidos antes dos procedimentos e da aplicação de medicamentos a serem realizados no paciente e das escalas de risco para flebite e queda. Caso o paciente apresente alto risco, é colocado na pulseira um adesivo circular que significa um cuidado e atenção maior com o paciente”, completou Camilla Tinoco, enfermeira responsável pelo Núcleo de Segurança do Paciente.

A Nutrição no Tratamento do Câncer

  As necessidades nutricionais modificam-se antes, durante e após o tratamento oncológico, influenciadas pela própria doença e por efeitos colaterais como falta de apetite, perda de peso, náuseas, vômitos, feridas na boca, alteração no gosto e cheiro dos alimentos, diarreia, entre outros.

No nosso artigo Manejando a perda de apetite e de peso quando se tem câncer você poderá entender um pouco melhor o porquê da perda de peso ou da ausência de apetite quando se tem câncer, além de conferir indicações de como manter o peso.

Um estado nutricional deficiente causa a diminuição da imunidade, da resposta ao tratamento, aumenta os efeitos colaterais, impactando muito a qualidade de vida do paciente, por isso o acompanhamento nutricional é tão importante.

O Papel Do Nutricionista Oncológico

O nutricionista oncológico é o profissional capacitado para auxiliar o paciente a superar os desafios que a doença e o tratamento impõem ao estado nutricional, evitando a instalação do quadro de desnutrição ou recuperando um estado nutricional já deficiente. Ele é responsável por:

  • Acompanhar o paciente em sua rotina alimentar
  • Monitorar seu peso e composição corporal
  • Ajustar a ingestão alimentar
  • Monitorar a hidratação
  • Orientar sobre o manejo dos sintomas e efeitos colaterais
  • Orientar em relação a outras possíveis doenças associadas, como diabetes e hipertensão
  • Fazer a prescrição, quando necessário, de suplementos alimentares
  • Orientar sobre os cuidadores/familiares, elabora planos alimentares individualizados.

INGOH: um compromisso com a abordagem nutricional no tratamento de câncer

Em conjunto com os membros da equipe multidisciplinar o nutricionista traça um plano de cuidados com o objetivo de otimizar o tratamento e assim contribuir para o bem estar do paciente.

 O INGOH reafirma seu compromisso em promover uma abordagem multidisciplinar no tratamento do câncer, de modo a colocar sempre o bem-estar e a saúde dos seus pacientes em primeiro lugar.

E para mais conteúdos como este, siga o INGOH nas redes sociais. Lá você também encontra dicas, notícias e muito mais. Acesse nosso Instagram e Facebook.

Setembro em Flor: campanha alerta para tumores ginecológicos

INCA estima 704 mil novos casos de câncer para o Brasil, em 2023. Desses, 13% estão ligados a útero, endométrio, ovário, vagina, vulga e colo do útero – esse, mais popular

Campanha Setembro em Flor

No mês da primavera, o INGOH estende essa floração para uma causa importante: a campanha Setembro em Flor. Este período é escolhido estrategicamente para plantar a sementinha da conscientização em nossa sociedade, promovendo informação e saúde para todos.

O objetivo principal da ação é alertar a população sobre os fatores de risco, sinais e sintomas precoces de cânceres ginecológicos, que são aqueles que acometem colo do útero, endométrio, ovário, vagina e vulva.

Câncer Ginecológico

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o Brasil tem uma estimativa de 704 mil novos casos de câncer para cada ano do triênio 2023-2025. Nesse cenário, mais de 30 mil diagnósticos devem ser relacionados aos tumores ginecológicos, representando mais de 13% do total, excluindo o câncer de pele não melanoma.

No entanto, o INGOH ressalta que o câncer ginecológico apresenta excelentes chances de sucesso no tratamento, quando detectado precocemente. Para isso, é de extrema importância que a população esteja ciente dos sintomas, das possibilidades de tratamento e, principalmente, que mantenha vigilância constante em sua saúde.

Como é a Prevenção ?

A nossa oncologista clínica Dra. Ana Cláudia Lima reforça que medidas simples auxiliam na prevenção do câncer de colo do útero. “A vacina contra o HPV é uma importante alternativa para combater esse tipo de neoplasia e está disponível no SUS. É importante ressaltar que a eficácia da vacina é ainda maior, quando meninas e meninos não tiveram contato com o vírus, mas isso não quer dizer que a criança ou o adolescente iniciará suas práticas sexuais ao se imunizar. Isso é um mito disseminado na população, que precisamos combater”, explica a especialista.

No Brasil, de acordo com a médica, a cobertura vacinal ainda é baixa. Em média 53% das meninas completaram o esquema vacinal e apenas 27% dos meninos fizeram as duas doses.

Ana Cláudia Lima apresenta dados da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícias (Febrasgo), os quais demonstram que cerca de 80% da população sexualmente ativa já teve contato com o vírus do HPV e o pico de incidência é dos 18 aos 25 anos. De acordo com a médica, 80% das infecções desaparecem sem deixar sequelas; os demais podem desenvolver verrugas genitais e câncer do colo do útero.

Lima ainda ressalta que consultas de rotina com ginecologistas e manutenção de exames em dia auxiliam no diagnóstico precoce. “E isso corrobora para um tratamento menos agressivo e até para cirurgias menos invasivas”, finaliza.

No INGOH, estamos comprometidos com a missão de informar, prevenir e tratar os cânceres ginecológicos. Acreditamos que, juntos, podemos reduzir a incidência e salvar vidas. Faça parte da campanha Setembro em Flor e ajude-nos a florescer a conscientização e a saúde de todas as mulheres. Espalhe flores e informações corretas pelo seu caminho.

INGOH promove ações para o Dia Mundial da Segurança do Paciente

Campanha “Vamos fazer ouvir a voz do paciente” foi realizada pelo Núcleo de Segurança do Paciente e Ouvidoria

Dia Mundial da Segurança do Paciente

Em comemoração ao Dia Mundial da Segurança do Paciente, celebrado no dia 17 de setembro, o INGOH realizou, durante toda a semana, a campanha “Vamos fazer ouvir a voz do paciente”. Com uma série de ações, o foco foi aumentar o engajamento dos pacientes trazendo-os para o centro do cuidado.

As ações envolveram a equipe do Núcleo de Segurança do Paciente, Núcleo de Experiência do Paciente e Ouvidoria, com orientações sobre como utilizar o canal de comunicação da ouvidoria, para abertura e realização de feedback, sugestão de melhoria, reclamações e também para elogios a equipe.

Durante a programação, o INGOH também reforçou a importância da aplicação das escalas de riscos, por meio do Núcleo de Segurança do Paciente, nos setores da oncologia, onde foi discutido o motivo pelo qual os pacientes utilizam a pulseira de identificação e a aplicação das respectivas escalas.

“A equipe de enfermagem explicou a importância da conferência dos descritores contidos na pulseira de identificação que devem ser conferidos antes dos procedimentos e da aplicação de medicamentos a serem realizados no paciente e das escalas de risco para flebite e queda. Caso o paciente apresente alto risco, é colocado na pulseira um adesivo circular que significa um cuidado e atenção maior com o paciente”, completou Camilla Tinoco, enfermeira responsável pelo Núcleo de Segurança do Paciente.

Os pacientes também foram orientados sobre medidas preventivas, como segurar corrimões ao subir escadas e evitar de se levantar rapidamente após a administração de medicamentos.

As TVs da matriz em Goiânia exibiram os resultados de uma pesquisa realizada em maio, na qual os pacientes oncológicos falaram sobre suas prioridades no tratamento. Além disso, também foram realizadas entrevistas com pacientes oncológicos, oportunidade em que eles compartilharam suas experiências e deixaram um recado para as equipes que cuidaram de seus tratamentos.

As ações realizadas pelo INGOH em comemoração ao Dia Mundial da Segurança do Paciente foram uma excelente oportunidade para trazer informação e esclarecimento. “Muitos pacientes relataram não ter conhecimento do quanto é importante a aplicação das escalas de risco. Por isso, nosso objetivo é fazer com que eles estejam verdadeiramente no centro de nossas ações”, conclui Camilla.

O INGOH está comprometido com o engajamento dos pacientes e continuará a promover ações para garantir que a voz do paciente seja ouvida

Dia Mundial de Conscientização de Linfomas: informação e prevenção

Dia Mundial de Conscientização de Linfomas: informação e prevenção

Doença deve acometer mais de 15 mil brasileiros, em 2023, de acordo com estimativa do INCA. Diagnóstico precoce contribui para sucesso do tratamento

Dia Mundial de Conscientização de Linfomas

O Dia Mundial de Conscientização de Linfomas, celebrado anualmente em 15 de setembro, é uma data importante para aumentar a conscientização sobre essa doença, que é um tipo de câncer que afeta o sistema linfático. Essa parte do nosso organismo é responsável por defender o corpo contra infecções, e os linfomas são causados pelo crescimento anormal de células do sistema linfático.

A partir disso, os linfomas são divididos em dois tipos principais: linfoma de Hodgkin e linfoma não-Hodgkin. O primeiro é um tipo mais raro, que afeta principalmente pessoas com idade entre 20 e 30 anos, enquanto o segundo é o tipo mais comum da doença e pode afetar pessoas de todas as idades.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), são estimados mais de 15 mil novos casos de linfoma para cada ano do triênio 2023-2025. A conscientização sobre a doença é importante para que as pessoas possam identificar sintomas da doença precocemente, o que aumentam as chances de cura. Além disso, a prevenção também é importante para reduzir o risco de desenvolvimento de linfomas.

Especificidades dos linfomas

Os linfomas podem se desenvolver em qualquer parte do corpo, mas geralmente se manifestam em gânglios linfáticos, que são pequenas glândulas localizadas em diversos pontos e também são conhecidos por linfonodos. Os linfomas podem ser divididos em dois subtipos, de acordo com o tipo de célula afetada

Linfomas B são causados pelo crescimento anormal de células B, responsáveis pela produção de anticorpos. Em contrapartida, os linfomas T são causados pelo crescimento anormal de células T, responsáveis pelo combate a infecções.

Sintomas e tratamentos

Os sintomas dos linfomas podem variar de acordo com o tipo e o estágio da doença, sendo que os mais comuns são:

  • Aumento dos gânglios linfáticos (popularmente chamados de íngua);
  • Perda de peso;
  • Febre;
  • Cansaço;
  • Sudorese noturna;
  • Falta de ar e tosse.

Como os sintomas podem induzir a diversos diagnósticos, é essencial procurar auxílio médico especializado para que os descartes sejam realizados e, assim, iniciar o tratamento adequado. Esse, inclusive, depende do tipo, do estágio da doença e da saúde geral do paciente. Quimioterapia, radioterapia e transplante de células-tronco são opções a serem avaliadas.

Farmácia do INGOH é a única com selo de acreditação ONA em Goiás

Certificação foi concedida após instituição ter atendido critérios de segurança, estrutura e gestão

A farmácia do Instituto Goiano de Oncologia e Hematologia (INGOH), localizada na nossa matriz, em Goiânia, obteve um reconhecimento que nos enche de orgulho. No mês de junho, a farmácia garantiu a recertificação do selo de qualificação concedida pela ONA – Organização Nacional de Acreditação – reforçando o compromisso do Instituto em levar atendimento de qualidade e humanizado aos pacientes.

O selo foi possível graças ao empenho dos colaboradores e na excelência dos serviços prestados. A qualificação foi concedida pela primeira vez em junho de 2021 e, anualmente, os critérios de segurança, estrutura e gestão são verificados para a manutenção do selo, No ano passado, a farmácia manteve o reconhecimento e, em junho de 2023, a recertificação foi concedida, uma vez que a manipulação e atenção farmacêutica seguiram conforme os requisitos do manual.

Farmácia INGOH – Pioneirismo e excelência

O INGOH é a primeira e única instituição do Estado de Goiás a ser reconhecida com o selo de Serviço de Manipulação e Atenção Farmacêutica.

A gestora sênior da oncologia do INGOH, a farmacêutica Maysa Auxiliadora Dias Gomes, explica que o selo mostra que a instituição é séria, tem credibilidade e busca sempre a capacitação dos profissionais. “Os pacientes também são beneficiados, pois os processos estão sempre em dia e os serviços padronizados”, pontua.

Seis funcionários trabalham diretamente no espaço. A certificação engloba a farmácia de manipulação e a clínica. Reconhecimento que chama a atenção do mercado e da própria indústria farmacêutica pela qualidade dos serviços prestados.