Edit Content
Search

ChatGPT: impactos na área da saúde

Você esta em:

  1. Home
  2. »
  3. Blog
  4. »
  5. ChatGPT: impactos na área da saúde

Indice

Ferramenta criada com Inteligência Artificial, o ChatGPT é o novo recurso utilizado para responder perguntas online, inclusive na área da saúde, quando então pode ser uma verdadeira armadilha.

Você conhece o ChatGPT? A ferramenta, por sua capacidade única de responder perguntas de usuários, tem sido pontuada como resposta para alguns desafios da área da saúde, quando então é apontada como capaz de oferecer soluções para sintomas, consultas e tratamentos. Tudo com base em resultados reais e para pessoas do mundo todo.

Entretanto, oferece perigos verdadeiros para os usuários.

Conheça o ChatGPT

A sigla ChatGPT significa Chat Generative Pre-Treated Transformer e foi criada pela OpenAI, em São Francisco, Califórnia. Trata-se de uma ferramenta gratuita de Inteligência Artificial (IA) que funciona como mecanismo de busca online e offline, alimentada por uma grande quantidade de dados mantidos em um servidor, responsáveis pelas respostas, que são dadas em forma de conversa.

Para se entender bem o funcionamento da ferramenta, basta pensar na capacidade de aprendizado de um ser humano, que replica a base de conhecimento prévio em suas respostas presentes e futuras.

Armadilhas para a área da saúde

Na área da saúde, acredita-se que, no futuro, o uso do assistente virtual possa conversar com o paciente e analisar histórico médico e sintomas para orientar profilaxia, tratamentos, tipos de especialistas e remédios, fornecendo informações úteis e indispensáveis para a saúde. Mas atenção, existem armadilhas que merecem cuidado.

Quando o assunto é saúde, há contrapontos quanto a eficiência da ferramenta. Para entender melhor, especialistas indicam que, hoje, sua utilização para a medicina seria como realizar perguntas ao Google, gerando respostas com base científica duvidosa, e erros podem ser gerados a partir de dados que não foram previamente checados por especialistas.

O ChatGPT vai substituir os médicos?

Considerando o contexto, a conclusão é a de necessidade de um alerta: o ChatGPT não substitui ou vai substituir os médicos. A esperança é de que a ferramenta aprimore a relação médico-paciente e apresente funcionalidades úteis para ambos.

Subsiste a necessidade de cuidados com bem-estar, profilaxia através de exames e consultas regulares, além de tratamentos especializados em instituições renomadas de saúde, ficando na alçada da tecnologia ser uma grande aliada no nosso dia a dia, auxiliando os profissionais de saúde nos diagnósticos e colaborando nas rotinas e processos de exames. 

Bônus: 3 dicas para a hora de utilizar o ChatGPT

Para não cair nas armadilhas da ferramenta, o INGOH separou 3 dicas essenciais na hora de fazer a busca:

  • O ChatGPT não é um oráculo digital, sendo assim, é preciso discernimento na hora de realizar as perguntas e absorver as respostas;
  • Entenda que a ferramenta foi colocada no ar recentemente, em 2022, então ainda há muito para se estudar, entender e evoluir, não subsistindo a certeza absoluta do teor das respostas;
  • Por fim, tenha ciência de que a ferramenta pode oferecer respostas diferentes para a mesma pergunta, demonstrando incoerência e gerando desconfiança nos resultados;

Pronto. Agora você está por dentro do assunto e sabe dos riscos que a ferramenta oferece para você e para a sua saúde. Comente o que você achou ou deixe sua dúvida sobre o assunto.