Sobre doação de plaquetas

Plaquetas são fragmentos de células, presentes habitualmente no sangue, e muito importantes para a coagulação! São produzidas pela medula óssea e podem ser armazenadas no baço. Quando um vaso ou órgão é lesado, as plaquetas se prendem ao local formando uma barreira que evita o sangramento.

O processo de doação de plaquetas denomina-se de Plaquetaférese, e a técnica utilizada chama-se aférese, que significa “separar” ou “retirar”. Aférese é um procedimento realizado em um equipamento próprio, onde se retira do sangue um de seus componentes, com devolução dos outros componentes ao doador.

Para doação por aférese é necessária a punção de duas veias, de modo que o sangue que sai da veia, passa pelo equipamento onde fica retida a quantidade de plaquetas permitida para cada doação e o restante do sangue é devolvido, sem nenhum dano. As plaquetas retidas na máquina são automaticamente transferidas para uma bolsa coletora, a qual irá para o banco de sangue. O doador permanece em ambiente fresco e confortável e a coleta dura aproximadamente uma hora.

Vantagens:

1. Possibilidade de selecionar apenas o que deseja coletar, sem a necessidade de extrair uma porção completa (cerca de 450ml em doação convencional) de sangue do doador. Dessa forma, o doador pode doar novamente dentro de 48h.

2. Maior segurança para quem recebe esta doação. Um adulto geralmente necessita de 1UI de plaquetas convencional para cada 10Kg de peso, ou seja, um adulto de 80Kg necessitará de 8UI de plaquetas obtidas do processamento do sangue de 08 doadores convencionais. Se for utilizada plaquetas por aférese, será necessário, apenas 1UI. Uma unidade de plaquetas por aférese é proveniente de um único doador e corresponde a sete a dez unidades de plaquetas provenientes de doações convencionais, o seja, de vários diferentes doadores, com diferentes origens e hábitos de vida. O paciente recupera-se mais rapidamente, tem menos chances de ter reações transfusionais e de adquirir infecções

Tire suas dúvidas
QUEM PODE SER UM DOADOR DE PLAQUETAS?

Pessoa saudável com ótimas veias;

Idade entre 16 e 69 anos (16 a 17 anos necessário a autorização do responsável legal);

Peso igual ou maior que 50 kg;

Facilidade de localização quando houver necessidade de doação.

COMO É FEITO O PROCEDIMENTO (AFÉRESE)?

O profissional técnico qualificado conecta o doador a um equipamento sofisticado, através de punção venosa. Por centrifugação o equipamento separa o sangue do doador e retira somente as plaquetas, devolvendo o restante do sangue (plasma, células brancas e vermelhas) ao doador. O sangue não entra em contato com a máquina e sim, com um material descartável, estéril e de uso único que se chama Kit de Aférese. O procedimento dura em torno de 1 hora.

O PROCEDIMENTO É DOLOROSO?

Poderá haver algum desconforto no momento das punções venosas, semelhantes a da doação tradicional, uma em cada braço. Durante o procedimento, o doador não sente nenhuma dor, ficará sentado confortavelmente na poltrona de doação, podendo ficar conversando, ouvindo músicas ou assistindo televisão.

EU CORRO RISCO DE CONTAMINAÇÃO AO DOAR PLAQUETAS?

De forma nenhuma. Durante todo o processo somente são utilizados materiais estéreis de uso único (descartáveis) em sistema fechado de forma que o sangue do doador nunca entra em contato direto com o equipamento.

EU PRECISO USAR ALGUM MEDICAMENTO?

Não. Normalmente um pouco de soro fisiológico é acrescido ao circuito para completá-lo. Durante o procedimento uma pequena quantidade de anticoagulante circulará por seu sangue para evitar que este coagule no circuito (Kit), mas a quantidade é mínima e não lhe prejudicará em nada.

EU POSSO SENTIR ALGUM EFEITO ADVERSO?

Raramente. Alguns doadores podem experimentar sensação de frio, tremor ou hipotensão devido ao anticoagulante ou à ansiedade. Caso isso aconteça, o que é muito difícil, o doador está amparado por uma equipe, com médicos especialistas, enfermeiros capacitados e auxiliares de saúde altamente competentes.

QUEM SE BENEFICIA DA MINHA DOAÇÃO DE AFÉRESE?

Pacientes com risco de sangramento devido à baixa contagem de plaquetas por causa de leucemias, aplasia de medula óssea, quimioterapia, radioterapia, dentre outras causas.

EM TODAS AS DOAÇÕES DE PLAQUETAFÉRESE SÃO REALIZADOS TESTES SOROLÓGICOS E IMUNOHEMATOLÓGICOS?

Os exames devem ser renovados a cada doação. Este procedimento visa aumentar a segurança transfusional, já que existe um período entre a contaminação do indivíduo e a demonstração disto em resultados laboratoriais.

COMO A AFÉRESE AJUDA OS PACIENTES?

Uma doação por aférese contém 08 vezes mais plaquetas do que uma doação tradicional. Então, em vez do paciente ser transfundido com plaquetas de 08 doadores; através da aférese, é necessário somente um doador. Esse tipo de doação diminui o risco de o paciente ter reações transfusionais e também de se tornar refratário à transfusão de plaquetas.

QUAL TIPO DE SANGUE É O IDEAL?

Todos os tipos de sangue são ideais e necessários! Porém, damos preferência ao doador com ABO compatível ao paciente.

ESTAS PLAQUETAS NÃO ME FARÃO FALTA?

Não. Cerca de 30% das suas plaquetas serão doadas, destas, 10% você recupera em 1 hora e o restante em cerca de 24 horas após a doação. Doações por aférese podem ser repetidas a cada 48 horas sem prejuízo ao doador!

Ana Paula A. Parente – Biomédica – INGOH

Deixe um Comentário